Agenciados


Ficha Técnica

  • Artista Plástico
  • Pinturas a óleo
  • Grafites
  • Esculturas de Madeira

Andrea Brandani (Artista Plástico)

O mais conhecido artista plástico especializado em grafites de excepcional qualidade do Rio de Janeiro, ANDREA BRANDANI. Sim porque é mais fácil encontrar "lá fora" quem o conheça e aprecie suas obras, do que aqui no país tupi. Está certo que ele também não fez por onde. Avesso a vernissages e badalações sociais e artísticas, foi levando a vida como um virtual recluso no ateliê a pintar e tornar a pintar, varrer madrugadas pintando. Agora, instado por uns e outros argumentos, deu o decisivo passo e saiu da... caverna, trazendo consigo a cor e a luz, a luminosidade de seu fazer pictórico.

É o autor dos já conhecidos grafitis de elefantes em Ipanema (Rio de Janeiro), bem como esculturas em troncos de árvores mortas espalhadas pelo bairro, onde tem ateliê. Suas obras foram quase todas vendidas para o Internacional Recogneized Art Dealer, por Pier Paolo Cimatti, e no Brasil, pelo leiloeiro Miguel Salles. Algumas forma levadas a leilão pela Bel Galeria, em São Paulo.

Atualmente, seus grafitis decoram as cervejarias e restaurantes Devassa, Noi, Deliriun, Tremens, Hans, Restô e a parede da galeria Jean Borguicci, em Ipanema. Também tem ateliê em Rio Bonito de Lumiar (RJ). Seu trabalho já foi exposto em diversos centros culturais e Museus no Brasil, Argentina, França (Museu do Louvre), Alemanhã e Itália. 
Andrea sempre soube que seria pintor. Começou a pintar sob a influência do pai, Hélio, e da irmã, Heliana, que à época estudava pintura em Belo Horizonte com Bracher.
Aos quatro anos pintou seu primeiro quadro, um auto-retrato, seguido de uma série de desenhos inspirados na paisagem de sua cidade e nas igrejas de Guignard.
Aos dezessete anos, criou a série de abstratos geométricos e a série de queimados.
Aos dezoito, mudou-se para o Rio de Janeiro trazendo na bagagem um grande estojo de tintas, presente da irmã.
Construiu também grande série de navios dentro de garrafas, criando batalhas navais, portos, cidades e temas históricos, tendo realizado exposição no cassino de Póvoa de Varsin, em Portugal, em 1983.
De 1980 a 1987 fez centenas de estudos de obras de Van Gogh, incluindo todos os auto-retratos, além de inúmeros quadros de Paul Gaugin, Picasso e Di Cavalcanti e temas próprios, tendo então criado séries de retratos e auto-retratos.
Já a série Ipanema foi inspirada em uma tela de seu irmão escultor, Márcio, e a série Ônibus, no pintor Adriano Mandiavach.
Por volta de 1990, surgiram as séries Elefantes, Flying Flowers, still life, sempre dando continuidade aos antigos temas.
A partir de 1998 começou a pintar a via sacra, homenageando Gaugin e Guignard com elementos de Polock.
Na seqüência veio a série Window's cujo tema Flying Flower's é pintado em janelas antigas, encontradas em demolição.
Atualmente, 2006, trabalha alternada e profusamente todos os seus temas, dando especial atenção às séries Flying Flower's e Ipanema. Mantém acervo de mais de duzentas pinturas de grandes dimensões.

Exposições

|  Ano |  Título |  Local
1983 Cassino de Póvoa de Varsin Portugal
2006 Galeria Virtual  RioArteCultura.Com
2007 Galeria da FESP Rio de Janeiro
2015  "Uma só" Centro Cultural da Justiça Federa